Início » Governo deve antecipar 13º salário – aprenda a utilizar esse valor com inteligência

Governo deve antecipar 13º salário – aprenda a utilizar esse valor com inteligência

Em função da crise econômica e sanitária do COVID-19, o Governo Federal confirmou que deve liberar a antecipação dos pagamentos do 13º salário dos aposentados e pensionistas do INSS. A primeira parcela deve ser liberada nos últimos dias de maio. A antecipação também é a opção de muitas empresas que oferecem esse benefício aos colaboradores.

Essa injeção de dinheiro feita pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é muito importante nessa hora, para proteger os aposentados e até aquecer a economia e, por isso, é preciso que os beneficiados saibam a melhor forma de utilizar essa quantia.

“Dinheiro extra, no geral, não deve ser utilizado para quitar dívidas, nesse momento essa ideia deve ser reforçada, também é importante que não utilize esse dinheiro para fazer compras de supérfluos, mas sim ser planejado o uso poupado, destinando-o para atravessar esse período difícil que passaremos”, avalia o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (ABEFIN), Reinaldo Domingos.

Para o especialista o primeiro passo é fazer um diagnóstico financeiro, ou seja, anotar todos os gastos ao longo de um mês, separando-os em categorias (alimentação, combustível, vestuário, etc.). Dessa forma, verá exatamente com o que está gastando cada centavo do dinheiro e onde está havendo excessos, para diminui-los ou até cortá-los, se for o caso. Sabendo se é endividado, equilibrado ou investidor, é mais fácil descobrir o que fazer com o 13º.

Um importante alerta é que não ajuda o desespero e de sair pagando dívidas e contas, é um momento excepcional e para isso as decisões não podem ser as mesmas que tomamos em outros períodos. Até mesmo deixar de pagar algumas contas pode ser a solução nesse momento.

“Muitas contas podem ser postergadas, como está acontecendo em relação de água e energia, outras devem ser repensadas e ainda tem as que devem ser renegociadas, como pode ocorrer no caso de aluguéis. Pontos como TV a Cabo, streaming, dentre outros devem ser eliminados, excessos também. precisamos rever nossa vida totalmente, por mais que seja por apenas três meses. É preciso comprar apenas o estritamente necessário, nunca foi tão importante evitar desperdícios. Repensar costumes e vícios”, explica o presidente da ABEFIN.

Ele complementa que “esse dinheiro é muito importante, lembrando que o aposentado e pensionista não receberá mais no início do segundo semestre, como estavam acostumados, assim é preciso uma reserva com esse dinheiro. Tenha a certeza de que com planejamento e organização, é possível se adequar. Uma importante orientação é que, por mais que possa parecer difícil, tudo vai passar”.

Para todos nesse momento a principal recomendação é que é preciso tempo para pensar nas necessidades básicas e em relação às despesas, viver numa operação de guerra. Pensando nisso, Domingos orientou em relação a algumas ações que podem ser tomadas:

• É fundamental nesse momento reunir a família, abrir a realidade e pensar em ações conjuntas de redução;

• Este é o momento de focar na alimentação básica sem luxos é supérfluo, opte pelos produtos básicos, com custos menores e esqueça marcas e outras questões que possam elevar o preço;

• Caso tenha, é fundamental proteger a reserva financeira, é preciso ter dinheiro, ele vale muito mais meses momentos;

• Avalie a possibilidade de postergar o pagamento de energia, água e gás, em muitos casos esses não serão cortados em função da crise;

•Busque suspender pacotes TVs a cabo e reduzir também os pacotes de telefone e Internet é fundamental buscar por redução sem corte, mas lembrando que ode precisar de ferramentas para trabalho ou procura;

•Não comprar roupas e acessórios qualquer nesse momento, valorize o que já se tem;

•Buscar por atividades que não envolvam custos, ao estar em casa pode buscar principalmente a capacitação;

•Nada de compras coisas que não sejam essenciais;

•Em casos de dívidas, analisar individualmente e, se possível, suspender o pagamento ou renegociar as prestações, nada de gastar o pouco de reserva financeira que possa ter;

•Exercite o desapego, busque por produtos em casa que possa ser vendido e arrecadar algum dinheiro, mesmo que seja valor baixo, use ambientes de venda online;

•Se tiver cartão de crédito e faturas que não tenha como saldar ou que vão comprometer seu caixa e sua reserva, o melhor a fazer é ligar para o credor e dizer “devo mas não posso pagar agora”;

• Caso necessite fazer empréstimos, evite a quaisquer custos linhas como cheque especial e cartão de crédito que possuem juros exorbitantes.

Deixe uma resposta